Vienna Jack


Vienna Jack foi uma ideia que eu tive de fazer uma Vienna Lager maturada com lascas de barris de Jack Daniels. Adoro o estilo Vienna e seu perfil de malte ligeiramente tostado e complexo que remete a compostos de reações de Maillard (pão torrado), seu amargor moderado e seu final seco. Acho que um aroma defumado e doce do Jack Daniel's poderia casar muito bem.


Eu comprei nos Estados Unidos um saco de lascas de barris de carvalho utilizados na maturação de Jack Daniels. A ideia do produto é ser utilizado na churrasqueira (ou no defumador) para transferir um aroma de Jack Daniels para carne ou qualquer alimento que esteja assando ou defumando. Eu pensei em usar essse produto de duas formas, ao defumar um malte para fazer uma Smoked Daniels e como chips de carvalhos, emulando a maturação em barril.


Pesquisei em alguns fóruns gringos para descobrir se alguém já tinha feito isso e descobri que não é uma ideia tão original. Encontrei bastante gente fazendo, o que é ótimo. Lendo a opinião de quem já tinha feito, defini que eu usaria o equivalente a uma mão cheia de lascas (40g), deixaria uma semana embebido em Jack Daniels para sanitizar e então jogaria no fermentador ao final da fermentação primária, como se fosse um dry-hop.





Utilizei o lúpulo Centennial, no lugar de uma variedade germânica por mera comodidade, era o que havia disponível no dia, e pensando bem... como essa Vienna já está com um pezinho na América, não vi problema em utilizar uma variedade de lúpulo americana.

Fiz conforme explicado acima, deixando rolar a fermentação secundária (até uma densidade de 1.005 -bem seca) e maturar quase dois meses com as lascas. O resultado final foi uma bela Vienna, bem de acordo com o estilo mas com um aroma proeminente de carvalho, só que não percebi o Jack Daniels, o que me desapontou bastante.

Acredito que parte do motivo pelo qual não senti tanto Jack Daniels tenha sido porque embebi as lascas com uma pequena quantidade do Tennessee Whiskey - a garrafa que eu tinha em casa estava no final e não quis gastar em outra.... E também porque o saco de dry-hop onde estavam as lascas em algum momento se soltou e foi para o fundo do fermentador.

Futuramente pretendo executar uma experiência atentando para esses detalhes e também uma com malte defumado pelas queima das lascas, uma Rauchbier Jack.

                                                                                                                                                                   
Acesse nosso site: cervejasextremas.com
Siga-nos no twiiter: twitter.com/cervasextremas
Curta-nos no facebook: facebook.com/cervejasextremas


Comentários

  1. Fiz quase o mesmo com uma ESB.
    A primeira ficou espetacular, usei quase a mesma quantidade e lascas e sanitizei com bastante Bourbon. Joguei tudo no fermentador no final de secundária secundária deixei mais de mês na temperatura da primária.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas