Gengibirra

Ginger Ale da Vernors (USA)
Gengibirra ou Ginger Ale é um refrigerante feito a partir do gengibre. Na Wikipedia afirma-se que foi inventado por um médico americano em 1851, no entanto no livro Sacred and Herbal Healing Beers é possível encontrar uma receita de 1819 que havia sido publicada em um livro de receitas.

Aqui em Curitiba é bem comum encontrar a Gengibirra da Cini, mas no resto do Brasil é considerado algo bem exótico um refrigerante feito a partir do gengibre. Na verdade é mais comum do que nós pensamos, existindo versões comerciais nos Estados Unidos, Canadá, Japão e Inglaterra.

Em todas receitas de Gengibirra artesanais que eu encontrei constam os seguintes ingredientes: água, gengibre, açúcar (na maior parte das vezes mascavo), limão e fermento de pão. Alguns apresentam alguns componentes a mais como: clara de ovo, creme tártaro (bitartarato de potássio), ictiocola (colágeno obtido da bexiga de peixes), abacaxi e mel.


Gengibirra da Cini
As receitas que a gente encontra na internet e em livros como o Sacred and Herbal Healing Beers são voltados para a cozinha normal, mas quando se tem os equipamentos para se fazer cerveja em casa, fazer a gengibirra artesanal vira brincadeira de criança.

Basicamente o processo é: descascar o gengibre, ralar o gengibre, colocar água para ferver na panela e colocar o gengibre ralado, o acúcar, limão, ferver alguns minutos, resfriar, retirar o gengibre e colocar o fermento. Aí você engarrafa, espera uns dois dias para gaseificar, coloca na geladeira e bebe.



Eu fiz duas versões de 5 litros cada. Uma tradicional e uma com erva mate. A proporção da versão tradicional segue abaixo.
5 litros

75g gengibre ralado
250g açúcar mascavo
40ml limão espremido

E aqui a versão com erva-mate:

5 litros

75g gengibre ralado
250g açúcar mascavo
40ml limão espremido
50g erva-mate tostada


Ao invés de utilizar fermento de pão, eu aproveitei que tinha uma cerveja fermentando a pleno vapor e coletei um pouco da espuma, como se pode ver na jarra de vidro na foto acima.

Eu optei por deixar no fermentador e ir colocando nas garrafas conforme eu vou querendo beber. Fiz isso porque a fermentação continua acontecendo na garrafa, pois é o que gaseifica. E você deve estar atento quanto a isso para não correr o risco de uma garrafa explodir.

Você pode usar qualquer tipo de garrafa, inclusive as de refrigerante. Eu optei por usar algumas garrafas de cerveja com tampa flip-top.

O resultado:



e com erva-mate:



Ficou um refrigerante bem refrescante, saboroso e como se era de esperar, com bastante sabor de gengibre! Uma ótima pedida para um refrigerante artesanal delicioso! Mas é importante ter consciência que nesse processo se forma um pouco de álcool devido a fermentação. Se você engarrafar logo depois de produzir e beber em alguns dias, o teor alcóolico será bem pequeno, menos de 0,5%. No entanto se você deixar em um fermentador, como eu fiz, o teor alcóolico aumentará podendo chegar até algo em torno de 2%, e o dulçor da bebida diminuirá.



                                                                                                                                                  
Acesse nosso site: cervejasextremas.com
Siga-nos no twiiter: twitter.com/cervasextremas
Curta-nos no facebook: facebook.com/cervejasextremas

Comentários

  1. Gostei muito!
    Adoro fazer essas experiencias caseiras.
    Obrigado pelo post!

    ResponderExcluir
  2. Vamos fazer Guilherme !!!!!! 👍👍👍👍

    ResponderExcluir
  3. É possível fermentar mais sem usar o fermentador, pra conseguir um teor alcoólico maior?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É possível, mas um tanto trabalhoso. Vc teria que abrir e fechar a garrafa rapidamente todo dia. ACho que é mais fácil comprar um balde alimentício e fazer um air-lock caseiro (uma mangueira de plastico com a ponta mergulhada em um copo).

      Excluir
  4. Qual fermento de pão vc costuma utilizar,aquele desidratado?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim. Aquele Royal ou Fleischmanns mesmo.

      Excluir
  5. Alan, como se trata de um refrigerante, porque não fazer uma carbonatação forçada? Seria bem mais rápido e menos trabalhoso, não?
    João Madeira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza João, tem várias vantagens em se fazer via carbonatação forçada. Só não fiz porque não tenho o equipamento.

      Excluir
  6. Muito interessante sua receita Alan, até que dá para fazer alguma variante com os componentes que você citou, como mel e abacaxi. Como se trata de um refrigerante, porque não fazer uma carbonatação forçada em vez de fermentação?

    ResponderExcluir
  7. Oi, Alan boa noite. Só fiquei com uma dúvida, qual é a quantidade de fermento ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma colher de café de fermento de pão é o suficiente para uns 4 litros

      Excluir
  8. Olá, Alan!

    Que ótima a receita. Tenho duas dúvidas: quanto tempo aproximadamente tem que ferver a mistura?
    e, posso utilizar essa 'levedura de cerveja' comprada em casas de produtos naturais? se sim, saberia me dizer se utilizo na mesma proporção que você usa com o fermento de pão!?

    ResponderExcluir
  9. Alguns minutos apenas para ferver. E quanto à levedura de cerveja que vc encontra em lojas de produtos naturais. Bem... eu não acho uma boa ideia usá-la para fermentar. Até onde eu sei, ela é um subproduto da fermentação que serve como alimento, e não sei se possui boa quantidade de leveduras viaveis. Acho que não.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas