Pular para o conteúdo principal

Miami Beer Festival

Ocorreu no dia 30 de janeiro com 55 cervejarias. Organizado de uma forma diferente dos eventos brasileiros. Neste festival você pagava U$40 e recebia uma pequena caneca - de algo em torno de uns 100ml. Apesar de uma entrada cara, dentro do festival a cerveja era liberada. Achei uma boa ideia a ser copiada pelos organizadores de eventos no mercado nacional.

Quando eu vi o tamanho do estádio do Marlins, onde seria o festival eu pensei - Uau! Isso vai ser muito gigante!


Na verdade, o evento se deu ao lado de fora do estádio, embaixo do vão da estrutura principal.


O que, convenhamos, não deixa de ser um espaço respeitável, mas confesso que fiquei um pouco desapontado. :-/

Em termos de cervejas extremas, a variedade era grande e podia-se perceber que as cervejarias que apresentavam propostas interessantes angariavam as maiores filas, dentre estas as que mais me chamaram a atenção foram:
  • El Jefe - Uma Hefeweizen com coco da J. Wakefield Brewing
  • Cerberus - Uma Milk Stout com café e chocolate da Mammoth
  • Kentucky Pumpkin Barrel Ale - Cerveja de abóbora envelhecida em barris de bourbon
  • Orange Blossom Pilsner Squared (OBP²) - Pilsner com mel da Orange Blossom Brewing Company

Além dessas, experimentei duas fruit beer da Sea Dog que estavam com gosto muito artificial e me surpreendi com uma cervejaria que conseguiu angariar uma fila gigantesca, mas as duas cervejas que eu experimentei deles (uma session Ipa e uma Hazelnut Smoked Porter) estavam péssimas, com muitos off-flavors.

Seguem algumas fotos do evento:












                                                                                                                                                  
Siga-nos no twitter: twitter.com/cervasextremas
Curta-nos no facebook: facebook.com/cervejasextremas




Postagens mais visitadas deste blog

Receitas com Bagaço de Malte

Fazer cerveja em casa é um hobby que tende naturalmente a ser mais sustentável do que comprar cervejas industrializadas. Isto ocorre por diversos motivos, dentre eles: a logística de líquidos engarrafados que depende de combustíveis fósseis, a utilização de materiais brutos pela indústria que utilizam papelão e plásticos para caixas, a fabricação das garrafas de vidro que são descartáveis(enquanto o cervejeiro caseiro reaproveita as garrafas), etc. Logo, produzir em casa é uma boa forma de beber boas cervejas e ajudar a salvar o planeta.
No entanto, apesar do relativamente menor impacto ecológico do hobby, nós sempre podemos fazer um pouco mais. Por isso pretendo descrever algumas ideias sobre como minimizar o impacto no meio ambiente e de quebra, economizar alguns tostões. Um dos principais meios para isso é abordar o aproveitamento do Bagaço do Malte, o qual tem alto valor alimentício pois, descartando a água absorvida, ele é composto de fibras(~70%) e proteínas(~20%), e sempre com…

Minhas Impressões sobre Cacau - II

Cacau na CervejaAlguns maltes aromáticos são tostados até apresentarem um aroma extravagante de chocolate negro e café. Esses maltes são muito apreciados em stouts, brown ales e porters. Com o tempo isso levou os cervejeiros a pensarem em outras  formas de se adicionar estes aromas nas cervejas.




Como colocar o aroma de chocolate na cerveja feita em casa? Bem, fora o uso do malte chocolate, existem algumas outras formas: Nibs de cacauCacau em pó (ao se preparar o chocolate, quando você extrai a parte gordurosa dos nibs de cacau, o que sobra é o chamado cacau em pó)Chocolate em póAromatizante sabor chocolate
Pelo que eu li em diversas fontes, a forma mais proveitosa de se fazer isso é usando os nibs de cacau, apesar de usar cacau em pó ter suas vantagens e uma delas é a menor porcentagem de gordura, a qual pode impactar a formação de espuma. Eu apenas tentei usando de nibs de cacau e por isso vou abordar apenas essa forma aqui. Mas já li muitos relatos de pessoas conseguindo ótimos resulta…

Gengibirra

Gengibirra ou Ginger Ale é um refrigerante feito a partir do gengibre. Na Wikipedia afirma-se que foi inventado por um médico americano em 1851, no entanto no livro Sacred and Herbal Healing Beers é possível encontrar uma receita de 1819 que havia sido publicada em um livro de receitas.
Aqui em Curitiba é bem comum encontrar a Gengibirra da Cini, mas no resto do Brasil é considerado algo bem exótico um refrigerante feito a partir do gengibre. Na verdade é mais comum do que nós pensamos, existindo versões comerciais nos Estados Unidos, Canadá, Japão e Inglaterra.
Em todas receitas de Gengibirra artesanais que eu encontrei constam os seguintes ingredientes: água, gengibre, açúcar (na maior parte das vezes mascavo), limão e fermento de pão. Alguns apresentam alguns componentes a mais como: clara de ovo, creme tártaro (bitartarato de potássio), ictiocola (colágeno obtido da bexiga de peixes), abacaxi e mel.


As receitas que a gente encontra na internet e em livros como o Sacred and Herbal…