Pular para o conteúdo principal

Vinho de Arroz Chinês - II

Continuando a saga do vinho de arroz chinês, eu vou contar como eu fiz minha leva. E vou explicar da melhor forma possível; com um passo-a-passo em quadrinhos.

Como explicado em um tópico anterior, vinho de arroz chinês nada mais é que um fermentado de arroz que utiliza uma levedura especial chamada Jiuqu (ou Dry Yeast Balls) a qual é uma cultura de fungos, leveduras, bactérias e seus metabólicos associados. Esse é um campo promissor em termos de cervejas extremas e a Dogfish já fez suas experiências nesta área com seu excelente Chateau Jiahu, bem como a curitibana Way com sua Sake Ipa - que apesar de morar em Curitiba, eu nunca consegui encontrar. :-(



Então, deu pra entender? É muito fácil, é até divertido. E o resultado é um alcóolico de teor elevado (11-14%) e um tanto sour. A dificuldade só reside mesmo em conseguir o fermento chinês e esperar as três ou quatro semanas de fermentação.

Eu resolvi colocar um pouco de suco de romã para deixar um pouco mais adocicado, mas não foi muito boa ideia. O resultado foi uma bebida que lembrava muito, visualmente falando, quick morango. 

Mas no final, como podem ver, deu até para brindar com uma taça de chardonnay.



E ao final de tudo, como vocês se lembram, o resultado da filtragem do vinho foi um mosto adocicado, razoavelmente comível.

Depois dessa experiência eu tentei fazer uma leva com arroz cateto integral e digo que, apesar da fermentação ter ocorrido tudo certo, o resultado final ficou extremamente desagradável. O aroma me lembrou geleca.

A garrafa deve ser guardada na geladeira, a não ser que você pasteurize o líquido, porque o Aspergillus Oryzae (o fungo do Dry Yeast Ball) continua trabalhando firme e forte. E com o tempo a bebida acaba virando vinagre de arroz. Fica um vinagre muito gostoso, por sinal.

Na próxima experiência com o Jiuqu eu pretendo usar o arroz negro chinês - o "arroz proibido" - e colocar um pouco de lúpulo para que seus taninos e amargor possam balancear o ácido natural do vinho.



Postagens mais visitadas deste blog

Minhas Impressões sobre Cacau - II

Cacau na CervejaAlguns maltes aromáticos são tostados até apresentarem um aroma extravagante de chocolate negro e café. Esses maltes são muito apreciados em stouts, brown ales e porters. Com o tempo isso levou os cervejeiros a pensarem em outras  formas de se adicionar estes aromas nas cervejas.




Como colocar o aroma de chocolate na cerveja feita em casa? Bem, fora o uso do malte chocolate, existem algumas outras formas: Nibs de cacauCacau em pó (ao se preparar o chocolate, quando você extrai a parte gordurosa dos nibs de cacau, o que sobra é o chamado cacau em pó)Chocolate em póAromatizante sabor chocolate
Pelo que eu li em diversas fontes, a forma mais proveitosa de se fazer isso é usando os nibs de cacau, apesar de usar cacau em pó ter suas vantagens e uma delas é a menor porcentagem de gordura, a qual pode impactar a formação de espuma. Eu apenas tentei usando de nibs de cacau e por isso vou abordar apenas essa forma aqui. Mas já li muitos relatos de pessoas conseguindo ótimos resulta…

Receitas com Bagaço de Malte

Fazer cerveja em casa é um hobby que tende naturalmente a ser mais sustentável do que comprar cervejas industrializadas. Isto ocorre por diversos motivos, dentre eles: a logística de líquidos engarrafados que depende de combustíveis fósseis, a utilização de materiais brutos pela indústria que utilizam papelão e plásticos para caixas, a fabricação das garrafas de vidro que são descartáveis(enquanto o cervejeiro caseiro reaproveita as garrafas), etc. Logo, produzir em casa é uma boa forma de beber boas cervejas e ajudar a salvar o planeta.
No entanto, apesar do relativamente menor impacto ecológico do hobby, nós sempre podemos fazer um pouco mais. Por isso pretendo descrever algumas ideias sobre como minimizar o impacto no meio ambiente e de quebra, economizar alguns tostões. Um dos principais meios para isso é abordar o aproveitamento do Bagaço do Malte, o qual tem alto valor alimentício pois, descartando a água absorvida, ele é composto de fibras(~70%) e proteínas(~20%), e sempre com…

Gengibirra

Gengibirra ou Ginger Ale é um refrigerante feito a partir do gengibre. Na Wikipedia afirma-se que foi inventado por um médico americano em 1851, no entanto no livro Sacred and Herbal Healing Beers é possível encontrar uma receita de 1819 que havia sido publicada em um livro de receitas.
Aqui em Curitiba é bem comum encontrar a Gengibirra da Cini, mas no resto do Brasil é considerado algo bem exótico um refrigerante feito a partir do gengibre. Na verdade é mais comum do que nós pensamos, existindo versões comerciais nos Estados Unidos, Canadá, Japão e Inglaterra.
Em todas receitas de Gengibirra artesanais que eu encontrei constam os seguintes ingredientes: água, gengibre, açúcar (na maior parte das vezes mascavo), limão e fermento de pão. Alguns apresentam alguns componentes a mais como: clara de ovo, creme tártaro (bitartarato de potássio), ictiocola (colágeno obtido da bexiga de peixes), abacaxi e mel.


As receitas que a gente encontra na internet e em livros como o Sacred and Herbal…